Nulla consequat massa quis enim. Donec pede justo, fringilla vel aliquet nec eget arcu. In enim justo, rhoncus vitae.

Info:
Erick Duarte
  /  Ferramentas, design e recursos   /  Editor de Imagens Grátis? Vai de GIMP!
Imagem de abertura do GIMP

Editor de Imagens Grátis? Vai de GIMP!

O GIMP é um editor de imagens semelhante ao Adobe Photoshop disponível para Linux, Windows e Mac OS X. Ele possui código aberto, permitindo ser modificado, alterado e caso queira até mesmo vendido.

Tá, entendi. Mas por quê usar o GIMP?

O primeiro motivo para usá-lo foi citado acima, ele é grátis. É claro que se você está disposto a pagar o custo de software proprietários como Adobe Photoshop e Affinity Photo nada te impede. Sendo este o caso, porque não tê-los trabalhando juntos?

Atualizações a custo zero – Em contstante desenvolvimento como software livre, permite que as pessoas tenham acesso a seu código fonte e o melhorem, caso tenham capacidade para isso.

Versão portátil facilmente encontrada – Nada melhor do que executador um programa sem a necessidade de fazer todo aquele processo de instalação formal, não é mesmo?

Compatibilidade com arquivos PSD, que nada mais é que o formato padrão de documentos do Adobe Photoshop.

Interface flexível – Apesar da interface do GIMP ser algo um tanto quanto excêntrica de início, ela é totalmente alterável, permitindo mover cada pedacinho da mesma para deixar o look and feel de um modo mais agradável e prático.

Vasta gama de tutoriais encontrados online em sites como https://www.gimpbrasil.org/tutoriais e https://razgrizbox.wordpress.com/tag/gimp-tutoriais/. Sem muitas dificuldades também é possível usar tutoriais do Photoshop no GIMP, fazendo uso das suas ferramentas equivalentes explorando e testando os parâmetros.

Mas e os recursos do GIMP?

Como todo editor de imagens que se preze, no GIMP você encontrará recursos de alta qualidade para manipulação, restauração e composição de imagens. Sinceramente, o limite é sua imaginação.

No passado houveram críticas sobre o fato das janelas do GIMP ficarem separadas umas das outras, coisa que causava uma grande confusão, principalmente para as pessoas que começavam a usá-lo. A partir da versão 2.8 isso foi resolvido e hoje o programa está na sua versão 2.10.X, passando a ser oferecido o Single Window Mode, que agrupa todas as janelas em um só, tornando o GIMP mais acolhedor.

Semelhante ao Photoshop, o GIMP também fornece capacidade de organizar seu trabalho com os grupos de camadas.

Com inúmeras funções para ajustes de cores, levels, filtros para desfocagem ou detalhamento de imagem você estará bem suprido, mas caso você não encontre algo, é bom saber que ele pode ser expandido através de plugins e de scripts que facilitam muito o trabalhos rotineiros.

É facilmente encontradao na internet pacotes de textures e brushes para aprimorar ainda mais sua coleção. O interessante é se falando de brushes é que apesar do GIMP ter seu próprio formato nativo, ele também suporta brushes de outros softwares como o Photoshop e MyPaint.

Quem trabalha com manipulação de imagens sabe a necessidade de usar degradês, aquelas boas e velhas transições de um cor para outra e que podem acontecer em vários níveis. Você ficará feliz em saber que também existe esse recurso no GIMP

Existem muitos outros recursos, mas ficarão para um próximo post.

Tá legal, gostei. Mas nem tudo é pefeito, não é mesmo?

É verdade, nem tudo é perfeito. Então vejamos algumas coisas que acabam pegando:

  • Pra começar, o suporte a CMYK não existe. Isso é ruim para quem trabalha visando o mercado impresso. E sim, assim como foi dito no post sobre o Inkscape, existem maneiras de contornar isso, mas vai ficar pra outro post.
  • Pela falta do suporte a CMYK alguns arquivos PSD não vão abrir e ponto. Sua única alternativa é alterar o espaço de cores para RGB em outro programa.
  • Os plugins desenvolvidos podem ser abandonados pelos seus desenvolvedores.
  • Nenhum recurso como o Content Aware Fill Tool do Photoshop está disponível nativamente no programa, sendo necessário adicionar um plugin chamda Resynthesizer. Então fica aí a dica.

Onde fazer o download do Gimp?

É claro que você poder recorrer a sites de download como Baixaki e Super Downloads, mas nada melhor que beber água da fonte. Então o link oficial para baixar o programa é https://www.gimp.org/downloads/

Agora é com você. Faça o download do GIMP, teste suas funcionalidades e tire suas próprias conclusões, mas esteja ciente que é possível que se surpreenda com os recursos oferecidos por um programa completamente gratuito.

Deixe um comentário